Caruso

Após 66 anos no mesmo endereço, a mais tradicional empadinha de Curitiba está em seus últimos dias. A empresa, afetada pelo confinamento social, funcionará até 30 de dezembro.

A super tradicional empresa foi inaugurada em 1954 por Enrico Caruso na Rua Visconde do Rio Branco, 877, nas Mercês, a mercearia logo caiu no gosto dos curitibanos pelas empadas com receita herdada do pai dele, Antonio Nerone Caruso, o Nero, que foi dono de bar e lanchonete em Curitiba e também de um restaurante em Guaratuba. Com a morte de Enrico em 2010, aos 78 anos, o negócio foi assumido integralmente por seu neto Guilherme Caruso.

Segundo o atual proprietário, eles se desfizeram do imóvel da família e hoje são inquilinos. A pandemia, que no começo o ajudou com entregas em domicílio, agora virou inimiga. Aos 42 anos, ele diz que não vai deixar os curitibanos que amam as empadas da família na mão. Ele pretende continuar fazendo-as em casa para vendê-las congeladas, sob encomenda, e para outros estabelecimentos que as revendem, como O Famoso Brigadeiro. Enquanto a reportagem do portal estava na loja conversando com Guilherme, nesta terça-feira (01), não parava de entrar clientes e motoboys de aplicativos para buscar encomendas. “Saio de cabeça erguida. Toquei o negócio por 20 anos”, diz ele.

O acervo da loja, que preserva a atmosfera vintage da antiga mercearia, será guardado. Se você ainda não experimentou as empadas Caruso ou mesmo quem já as conhece tem até 30 de dezembro para se despedir delas e deste que é um dos últimos lugares autênticos de uma Curitiba que não existe mais.

Com informações do Reinaldo Bessa

Curta nossa página no facebook: 8cc74bfbefd94a7c24d9d666a51f0623

Deixe uma resposta