Lojistas estão unindo esforços para tentar reverter o fechamento do Pollo Shop, anunciado na semana passada. O grupo diz que mais de mil empregos gerados de forma direta pelo estabelecimento podem ser afetados.

Em comunicado enviado à imprensa, os lojistas alegam que foram pegos de surpresa com o anúncio do encerramento das atividades. O grupo nega a afirmação de que o Pollo Shop tenha feito contato com outros estabelecimentos para resguardar os lojistas. A administração havia anunciado que aqueles que quisessem dar continuar as operações teriam uma carência temporária no aluguel em outros espaços.

O Pollo Shop atuava há mais de 25 anos em Curitiba. Entre os lojistas está Julio Cesar Augusto. Ele afirma que a luta é buscar um acordo para que as atividades sejam mantidas.

Na semana passada, a administração do Pollo Shop emitiu um comunicado em que estabelecia o prazo de 30 dias para que as lojas fossem entregues. A nota relata a retração do consumo desde 2014 e fala em uma mudança no comportamento do consumidor, que teria reduzido o fluxo em shoppings e no varejo como um todo.

Segundo a administração, os proprietários do imóvel não aceitaram renegociar uma redução no valor do contrato e pediram aumento do aluguel. A ação corre na justiça há três anos.

A administração do Pollo Shop se posicionou e afirmou que é “verídica a informação repassada para os lojistas e que alinhou diretamente com os empresários” dos shoppings Jardim das Américas, Cidade, Ventura e Jockey Plaza, “condições especiais para aqueles lojistas que queiram dar continuidade às suas operações comerciais. Condições que podem ser carência temporária de aluguel ou outras vantagens definidas com cada lojista e o shopping de sua preferência”. Um dos advogados dos lojistas disse que está previsto um encontro com os representantes do estabelecimento para definir a melhor solução para o futuro do local.

Fonte: Band News

RECOMENDADOS:

Deixe uma resposta