Em um post no Facebook, o governador, Ratinho Junior, informou, nesta quinta-feira (9), que o medicamento cloroquina começou a ser utilizado pelo estado não somente em pacientes graves com Coronavírus, mas também em pessoas no estágio inicial da doença.

Inicialmente, o remédio seria utilizado apenas em casos graves, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, conforme orientação do Ministério da Saúde no dia 27 de março. Ainda no final daquele mês, o órgão recebeu o medicamento do Ministério da Saúde e distribuiu os lotes entre as regionais.

Outros estados também anunciaram a ampliação do uso da cloroquina. O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, anunciou que a Secretaria Municipal da Saúde vai incluir a cloroquina como uma das formas de tratamento para o coronavírus nos hospitais municipais. No entanto, lembrou que o uso da substância só é autorizado para pacientes internados e sob duas condições, quando houver prescrição do médico e desde que o uso seja autorizado formalmente pelo paciente ou por sua família.

Sobre a cloroquina, o Ministério traz que as “Diretrizes para diagnóstico e tratamento da COVID-19” fornecem orientações para uso do medicamento como opção para quadros graves (pacientes hospitalizados com pneumonia viral). Contudo, o seu uso se restringe a casos confirmados e deve ser feito conforme a orientação médica e em conjunto com outras medidas de suporte. Mas o ministro Luiz Henrique Mandetta afirmou, no mesmo dia, que a pasta não vai tomar medidas contra médicos que prescreverem a cloroquina para pacientes nos estágios iniciais da doença e que receitas não serão retidas.

Fonte: Saúde Debate
*Com informações da Agência Brasil

Curta nossa página no facebook: 8cc74bfbefd94a7c24d9d666a51f0623

Deixe uma resposta