O governador do Paraná, Ratinho Júnior, disse nesta quinta-feira (9), em uma transmissão ao vivo pelas redes sociais, que ainda é preciso manter o isolamento social no estado. Ratinho agradeceu a compreensão dos paranaenses e disse que é necessário cumprir o isolamento para evitar uma quarentena muito mais rígida.

“Não é uma corrida de 100 metros, é uma maratona que requer meses ainda de planejamento. Quero agradecer a população paranaense que tem compreendido a importância de ficar em casa. Temos 550 casos confirmados em 30 dias, mas isso não quer dizer que vencemos a guerra. O isolamento social continua. Temos que proteger a todos, principalmente nossos idosos”, afirmou o governador

A transmissão foi feita no Hospital do Rocio, em Campo Largo, na rmc, que recebeu novos leitos de enfrentamento ao coronavírus.

O governador ressaltou ainda que não há prazo para a retomada de todas as atividades na economia no Paraná, mas que não existe uma proibição, apenas a orientação sobre o que deve ou não funcionar.

“Não tem data definida para a retomada porque não sabemos quando isso tudo vai acabar. Sabemos que, por experiências mundiais, quatro meses tem sido o prazo para o retorno da normalidade, mas não sabemos. Aqui não fizemos um decreto proibindo nichos do mercado de atuarem, fizemos sim uma orientação sobre os setores essenciais e o que deveria fechar. O comércio em Curitiba, por exemplo, fechou as portas por orientação da Associação Comercial porque muitos funcionários e clientes não queriam mais sair de casa. O mais importante é manter a orientação de que todos que possam fiquem em casa”, disse Ratinho.

O governador completou dizendo que o vírus vai se propagar, mas devemos ao máximo evitar a superlotação do serviço de saúde.

“Não é fácil ficar em casa, mas neste momento todos têm que entender que só isso vai nos dar a oportunidade de controle. Não é o presidente, o governador e os prefeitos que vão fazer com que isso fique sob controle. É o bom senso que vai nos fazer vencer esta guerra. Se isso não acontecer, aí o estado terá que intervir para recolher todo mundo para que o sistema hospitalar não entre em colapso”.

Ratinho ainda afirmou que o ‘gatilho’ para uma quarentena mais pesada é o aumento do número de casos.

“O gatilho para tomar uma decisão drástica de recolher todos é o aumento diário de casos no paraná. Se isso sair muito fora da curva, teremos que tomar uma decisão drástica. Por enquanto, a população está colaborando”, completou.

Fonte: Banda b

Curta nossa página no facebook: 8cc74bfbefd94a7c24d9d666a51f0623

1 COMENTÁRIO

  1. Desgraçado sem conduta tratando o povo como lixo, fazendo o que bem entende do estado. Vamos mostra nas eleições, a resposta dessas humilhação. Eles estão seguindo a ideia dos comunistas, isolamento e para quem ta doente, é a quarentena era para ser geral por apenas 15 dias para o Governos se preparar, isso e uma verdadeira bagunça.A doença sempre vai existir, não adianta isolamento de pessoas aptas as atividades
    Quem defende essa ideia absurda são pessoas que tão trabalhando (reportes,jornalistas etc), é governadores comunistas a opinião do povo não ta valendo merda nem uma.
    Um país sem liberdade de expressão, bando Hipócritas, usando a Mídia para criar pessoas doentes psicologicamente , um pais da fome e da miséria. O que adianta quarentena se o vírus continua aumentando?? Pessoas começando a morre de fome até se suicidando graças a essa meia dúzia de pessoas com ideias apenas deles. Agora as forças de segurança sendo usadas para oprimir o povo granças a essas pessoas que só serve ficar expressando a opinião própria. #globolixo #governadoreslixo

Deixe uma resposta