Segundo o empresário Junior Durski, a rede de restaurantes Madero, demitiu mais de 600 funcionários nesta quarta-feira (1).

O responsável pela empresa explicou ao Estadão que as demissões aconteceram principalmente nas equipes que pertenciam aos projetos de expansão da rede, que tinha previsão de abrir mais 65 unidades ainda neste ano.

Recentemente, Junior Durski gerou polêmica ao falar sobre as mortes que a pandemia de coronavírus pode provocar no país.

A crise pode fazer com que sejam canceladas todas as inaugurações do Madero. Entre as áreas mais afetadas pelas demissões estão a de engenharia e a de arquitetura. Nessas duas áreas foram demitidas cerca de 15 pessoas, entre executivos, engenheiros e arquitetos.

Já os outros demitidos estavam em período de treinamento em restaurantes já em funcionamento, segundo o empresário. Elas, posteriormente, seriam alocadas para funções de atendimento, cozinha e limpeza nas unidades que a empresa ainda abriria.

Em vídeo divulgado na semana passada, o empresário havia afirmado que iria manter o emprego dos 8 mil funcionários que a rede e que o caixa da empresa tinha fundos para passar até seis meses com as portas fechadas.

“Não sabemos quanto tempo vai durar esse período de lojas fechadas – se vai ser mais um mês ou dois”, disse Durski ao Estadão. “Tínhamos 8 mil funcionários (antes da decisão de realizar essas demissões). Fizemos isso para preservar os demais colaboradores“, explicou.

Fonte: RICMAIS

Curta nossa página no facebook: 8cc74bfbefd94a7c24d9d666a51f0623

Deixe uma resposta