A Câmara dos vereadores de Curitiba recebeu até o momento três pedidos de representação contra o vereador Renato Freitas (PT) por quebra de decoro parlamentar. As ações solicitam que Freitas perca o mandato, em virtude da invasão da Igreja Católica Nossa Senhora do Rosário, em Curitiba, no sábado 5.

A Comissão Executiva da Câmara Municipal de Curitiba deve decidir até sexta-feira (11) se aceita os pedidos de abertura de processo de cassação do vereador Renato Freitas (PT), acusado de quebra do decoro parlamentar pelo ato dentro da Igreja.

Tramitação

A Comissão Executiva tem cinco dias para decidir se aceita ou não as representações contra o parlamentar. Caso elas sejam aceitas, serão encaminhadas à Corregedoria da Câmara, que terá outros 30 dias para dar um parecer sobre o caso do vereador. Se a Corregedoria acatar os processos, eles seguem então para o Conselho de Ética da Casa, que terá outros 90 dias para decidir sobre o mandato do vereador acusado.

Conforme noticiamos, a liturgia foi interrompida por militantes com bandeiras do PT e do PCdoB. Na igreja, Freitas acusou os fiéis de apoiarem um “policial no poder”. Para ele, os assassinatos de pessoas como Moïse Mugenyi e Durval Teófilo Filho teriam relação com a conivência de católicos a autoridades “fascistas”.

Os pedidos de cassação foram apresentados pelos vereadores Eder Borges (PSD), Pier Petruzziello (PTB) e Pastor Marciano Alves (Republicanos) com base na nota divulgada pela Arquidiocese de Curitiba, que condenou o ato.

RECOMENDADOS:

Deixe uma resposta