Direto do Hospital, Jair Bolsonaro (sem partido) entrou ao vivo no programa “Alerta Nacional”, do apresentador Sikêra Jr., na RedeTV, e anunciou que a chance de precisar de uma cirurgia está “bastante afastada”. Ele foi diagnosticado ontem com uma séria obstrução intestinal e foi transferido ao Hospital Vila Nova Star, na zona sul da capital paulista, para avaliar o melhor tratamento.

Segundo os médicos, seu quadro está evoluindo de forma “satisfatória”, mas ainda não há previsão de alta para o Chefe do Executivo.

“Cheguei aqui no dia de ontem, com indicativo muito forte para cirurgia, tendo em vista que foi constatada uma obstrução intestinal. Isso tudo aconteceu por causa da facada que eu recebi. Essa obstrução é sempre um risco muito alto, mas graças a Deus de ontem para hoje evoluí bastante esse quadro, então a chance de cirurgia realmente está bastante afastada”, disse o presidente.

Estava previsto para amanhã uma agenda em Manaus e, no sábado [17], uma motociata. Então peço desculpas ao pessoal, é motivo alheio à minha vontade. Vamos deixar para outra data, se Deus quiser. Então agradeço a todos de Manaus pelo carinho e pela atenção, sabia que ia ser um movimento excepcional, mas vamos deixar para outra oportunidade, disse.

Bolsonaro estava ao lado do médico cirurgião Antônio Luiz Macedo, que o operou após o ataque à faca sofrido em 2018, durante a campanha eleitoral. A Sikêra Jr., Macedo relembrou alguns dos procedimentos pelos quais o presidente passou desde então e confirmou que a chance de cirurgia é, por ora, pequena.

“O presidente melhorou. Ele ainda está em sonda gástrica, mas nós estamos estudando a retirada da sonda porque os barulhos no abdômen são bons. Aquela área obstruída, no lado esquerdo, já está mais palpável, e pode permitir a retirada da sonda, mas ainda mantendo uma dieta líquida para assegurar que não haja mais nada”, afirmou.“A cirurgia, em princípio, está afastada, uma vez que o intestino começou a funcionar e o abdômen está mais flácido”, completou.

RECOMENDADOS:

Deixe uma resposta