Nesta sexta-feira (25), a secretária da saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, anunciou o retorno da bandeira laranja na capital. Entre as principais alterações está a reabertura dos bares. O decreto passa a valer a partir da zero hora de domingo (27), o que permite a abertura de feiras, shoppings e mercados já neste fim de semana.

“Mas por favor, eu vou implorar, nos ajudem a manter a bandeira amarela. Em qualquer atividade, máscara o tempo todo. Importante também trocar a máscara. Muitas vezes as pessoas derrubam no chão, colocam na cara, mas aí não adianta nada”, disse.

Entre os motivos que levaram Curitiba a sair da bandeira laranja está a taxa de transmissão, o chamado R, que hoje está em 0,8. Outro fator é a ocupação dos leitos de UTI, que está em 77%.

Saiba como fica o funcionamento com a mudança para a bandeira amarela:

Fica suspenso o funcionamento dos seguintes serviços e atividades:

I – estabelecimentos destinados ao entretenimento, com ou sem música, de forma eventual ou periódica, tais como casas de festas, de eventos ou recepções, circos, teatros, cinemas e atividades correlatas;

II – estabelecimentos destinados a eventos sociais e atividades correlatas, com ou sem música, de forma eventual ou periódica, tais como casas de festas e recepções;

III – estabelecimentos destinados a feiras técnicas ou de varejo, mostras comerciais, congressos, convenções, entre outros eventos de interesse profissional, técnico e/ou científico.

Os seguintes serviços e atividades deverão funcionar com restrição de horário e/ou modalidade de atendimento:

I – atividades comerciais de rua não essenciais, galerias e centros comerciais: das 10 às 20 horas, podendo funcionar em todos os dias da semana;

II – shopping centers: das 12 às 22 horas, podendo funcionar em todos os dias da semana;

III – restaurantes, lanchonetes e bares: das 6 às 23 horas, podendo funcionar em todos os dias da semana.

Os seguintes serviços e atividades deverão funcionar com até 50% (cinquenta por cento) da sua capacidade de público:

I – hotéis e resorts;

II – pousadas e hostels.

Os seguintes serviços e atividades deverão funcionar com restrição de horário de atendimento e com até 50% (cinquenta por cento) da sua capacidade de operação:

I – serviços de call center e telemarketing: a partir das 9 horas, exceto aqueles vinculados aos serviços de saúde ou executados em home office.

Curta nossa página no facebook: 8cc74bfbefd94a7c24d9d666a51f0623

Deixe uma resposta