Foto: Cesar Brustolin/Arquivo SMCS

1. O Passeio Público foi o 1° zoológico de Curitiba

Foto: TripAdvisor

Inaugurado em 1886, o Passeio Público foi o primeiro zoológico da cidade, chegando a possuir animais de grande porte, como leões e até um búfalo branco. O local atual foi inaugurado no dia 28 de março de 1982, recebendo os animais que estavam instalados no Passeio Público. Apesar disso, o Passeio ainda conta com animais que aproveitam a vasta área verde no centro da cidade. Ao visitar o Passeio Público você ainda pode conhecer alguns animais, visitando o terrário que, numa área de 156 m2, abriga 40 animais, entre serpentes e lagartos de espécies exóticas e raras, vindas de diversas partes do mundo e o aquário que possui 30 variedades de peixes de rios e ornamentais da região amazônica e da África.

2. A girafa mais antiga do Brasil está no zoológico de Curitiba

A girafa Pandinha, de 31 anos, que nasceu (01/05/1989) e mora no Zoológico de Curitiba, é a mais velha do Brasil e quarta mais velha do mundo.

Segundo dados do Studbook Internacional, ela só não é mais velha que a girafa de Colombo, no Sri Lanka, que tem 32; e para as girafas Zuri, de Fort Wayne; e Gillian, de Tucson, as duas também com 31 anos e residentes nos Estados Unidos, Na natureza, a girafa vive cerca de 15 anos. Ou seja, já viveu mais que o dobro disso!

3. Mais de 1 tonelada de alimentos são distribuídos por dia aos animais

O zoológico de Curitiba alimenta mais de 2 mil animais, de 250 espécies. Para isso, é necessário mais de uma tonelada de alimentos por dia, entre frutas, legumes, carnes e até alimentos inusitados como camarão e melado, para manter a dieta com os nutrientes certos para os animais.

4. O chimpanzé BOB tem quase 60 anos

Foto: Prefeitura de Curitiba

Um dos moradores mais antigos do zoológico de Curitiba é um chimpanzé, chamado Bob. Ele chegou ao Zoo em 2008 e, com base em seu histórico de vida, estima-se que tenha 57 anos de idade. Ele vivia em um circo até ser resgatado e levado, inicialmente, para um zoológico de Santa Catarina e hoje vive tranquilamente numa área reservada para ele no zoológico de Curitiba. Na floresta, um chipanzé vive em média 35 anos, devido aos perigos a que está submetido.

5. Zoológico de Curitiba é escolhido como padrinho dos muriquis

Em 2018, o zoológico de Curitiba comemorou o nascimento de um Muriqui, um primata, o maior das américas e que está em extinção. Restam pouco mais de 1.200 indivíduos no mundo e sua população segue em declínio. No ano passado, a instituição foi escolhida para escrever sobre ações de Educação Ambiental para reforçar a conservação do primata em um livro do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

Fonte: GSHOW

RECOMENDADOS:

Deixe uma resposta