Foto: Eduardo Matysiak

O decreto estadual que trouxe a quarentena mais restritiva para sete regiões do Paraná, entre 1 e 14 de julho, não fez com que a população ficasse mais em casa. Essa foi um dos argumentos do Governo para determinar o fim das restrições. Segundo os dados da empresa InLoco, feito pela localização de celulares, em Curitiba e Região, os números não tiveram uma grande mudança, mesmo com a necessidade de isolamento social.

Na média, em Curitiba, durante as duas semanas de decreto, os índices de isolamento ficaram entre 40% a 45%. Já em cidades da região como São José dos Pinhais, Araucária, Fazenda Rio Grande e Almirante Tamandaré, de segunda a sexta-feira, não passou de 40%.

Considerando todo o estado do Paraná, o índice de isolamento, neste período, ficou sempre abaixo dos 40% em dias de semana e só chegou a 50% nos domingos. Na média, entre os dias 1 e 14 de julho, a média foi de apenas 40,5%.

O monitoramento mostrou que o isolamento social no primeiro dia da quarentena (01/07), uma quarta-feira, foi de 38,3% no Paraná. No dia (05/07), domingo, alcançou 53,2%, mas voltou a cair nos outros dias da semana, fechando o dia (14/07) com apenas 39,7% de pessoas em casa.

Nesta quinta-feira (16/07), o índice de isolamento social no Paraná estava em 37,6%.

Segundo o secretário estadual da Saúde, Beto Preto, a meta ainda é alcançar uma média de pelo menos 50% de isolamento no Paraná.

“Essa quarentena ajudou a desacelerar o contágio. Vamos chegar no dia 20 de julho com os números previstos para o dia 12. Controlamos a subida da curva, mas temos insistido nessa questão porque ainda não chegamos em um patamar ideal”, afirmou.

Fonte: Banda B

RECOMENDADOS:

Deixe uma resposta