Foto: Daniel Castellano/SMCS

Os abrigos da Prefeitura bateram recorde de acolhimento neste fim de semana. Nos três dias, (de sexta a domingo), foram feitos 2.245 atendimentos a pessoas em situação de rua nas unidades do município, locais onde podem dormir em camas com cobertores, tomar banho quente, receber roupas limpas e se alimentar.

Foi o maior número de acolhimento registrado nas ações de inverno Curitiba que Acolhe, desde o ano passado, quando a Fundação de Ação Social (FAS) intensifica o trabalho de resgate nas ruas. O trabalho é ampliado sempre que a temperatura é igual ou menor a 9 graus, principalmente no período das 18h às 24h, para garantir que as pessoas estejam acolhidas antes da madrugada, quando normalmente o frio é mais intenso.

A maior procura pelos serviços aconteceu na noite deste domingo (28/6), quando 780 pessoas foram abrigadas. O número é 43,12% maior do que o registrado em 19 de agosto de 2019, quando 545 pessoas foram acolhidas nas unidades da FAS, o recorde daquele ano.

Em dias em que a temperatura é normal, 350 pessoas, em média, usam o serviço.

“O aumento de pessoas acolhidas nos abrigos é fruto do trabalho desenvolvido pela Fundação para proteger as pessoas que vivem em situação de rua do frio intenso e também do risco de contaminação pelo novo coronavírus”, explica o presidente da FAS, Fabiano Vilaruel.

Neste domingo (28/6), uma equipe da FAS fez um mutirão com pessoas que estavam nas casas de passagem Jardim Botânico e Plínio Tourinho, na Praça Solidariedade, para orientar sobre os riscos da covid-19 e a importância do isolamento social.

“De 150 pessoas que participaram das orientações, 57 foram encaminhadas para hotel social e dez decidiram ficar em acolhimento, sem voltar às ruas”, conta Vilaruel.

A maioria das pessoas atendidas durante o fim de semana (637) procurou espontaneamente os abrigos. Outras 208 foram encontradas pelas equipes da FAS, que percorrem toda a cidade para oferecer acolhimento, e aceitaram ser levadas para os abrigos.

Das 18h de sexta-feira (26/6) até as 7h desta segunda-feira (29/6), os educadores sociais fizeram 395 abordagens nas ruas, sendo que 226 delas foram solicitadas por meio da Central 156 e pelo aplicativo Curitiba 156. Em 62 pedidos, as equipes se deslocaram até o endereço indicado, mas não encontraram ninguém no local.

Apesar do frio, 160 pessoas se recusaram a seguir com as equipes para as unidades de acolhimento e preferiram ficar nas ruas. Outras quatro foram encontradas debilitadas e foram encaminhadas para unidades de pronto atendimento.

Com sintomas gripais, duas pessoas foram levadas para unidades de isolamento e nove foram acolhidas nos abrigos onde existem canis, por estarem com cães de estimação. O Conselho Tutelar foi acionado para atender dois jovens menores de idade.

Do total de atendimento feitos no fim de semana, 1.400 foram a pessoas que são atendidas permanentemente nas unidades de acolhimento institucional e hotéis sociais do município, onde moram até que consigam a autonomia necessária para deixar as ruas.

Fonte: Prefeitura de Curitiba

Curta nossa página no facebook: 8cc74bfbefd94a7c24d9d666a51f0623

Deixe uma resposta