Foto: Guilherme Wille

Desde a reabertura de shoppings, bares, academias e do comércio em Curitiba, não são só os casos de Coronavírus que sobem, mas também a ocupação das UTIs exclusivas para doença. Em 26/05, a ocupação chegava a 35% e, segundo Painel Semanal, divulgado na sexta (5), pela secretaria municipal de Curitiba, subiu para 60%, o maior percentual desde o início da pandemia.

De acordo com a Prefeitura, a cidade tem um plano de contingência para o enfrentamento do coronavírus que inclui a criação de leitos exclusivos para o atendimento de pacientes com a doença. Na sexta, por exemplo, a Prefeitura reabriu a ala de internação do Hospital Vitória, localizado na CIC, para atendimento exclusivo de pacientes do SUS com coronavírus na capital. Serão disponibilizados 140 leitos – 120 de enfermaria e 20 de UTI. Eles serão ativados de forma escalonada, conforme a demanda. Nesta primeira fase, serão abertos 30 leitos do total, sendo dez de UTI.

O plano de contingência contempla a abertura de 227 leitos de UTI na capital e mais 607 leitos de baixa complexidade em toda a rede do município. Esses leitos se somam à toda a rede pública e privada do município, que já contava com 5.623 leitos, sendo 761 de UTI.

Curitiba não é a única cidade da Região que viu o número de ocupações de UTIs subir nas últiimas semanas. Todos os leitos de UTI exclusivos para Coronavírus em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, estão ocupados. Os pacientes infectados que desenvolvem casos graves agora concorrem a vagas em leitos de ampla concorrência. De acordo com a Prefeitura de São José dos Pinhais, no entanto, ainda não faltam vagas em UTI. Os casos graves da doença são encaminhados para os leitos da UPA Afonso Pena, Unidade de Saúde Rui Barbosa e Hospital São José.

Fonte: Bem Paraná

Curta nossa página no facebook: 8cc74bfbefd94a7c24d9d666a51f0623

Deixe uma resposta