Foto: Divulgação/Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba

A Renault fechou acordo de redução em até 70% da jornada dos funcionários da fábrica de Curitiba. A medida vale por 1 mês, a partir da segunda-feira (18), e pode ser prorrogada por mais 30 dias.

A montadora diz que para manter o salários dos funcionários 100%, completará o benefício emergencial pago pelo governo a quem for afetado pela mudança. Outra medida tomada foi a não renovação e a antecipação do encerramento dos contratos temporários de 300 empregados.

A Renault deve pagar 100% do período faltante para o encerramento do contrato na rescisão, o dobro do que exige a lei. Haverá também extensão de plano médico por três meses para o titular e seus dependentes.

De acordo com o comunicado, a montadora vai disponibilizar aos empregados afastados um programa de orientação para a recolocação no mercado de trabalho, por meio de um serviço especializado, além da “possibilidade de participar de um banco de talentos para futuros processos seletivos da Renault”.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba, a fábrica emprega 7.300 trabalhadores. Lá são produzidos os modelos: Sandero Stepway, Logan, Kwid, Duster, Oroch, Master e Captour.

A unidade tem ainda uma fábrica de motores e injeção de alumínio.

Algumas empresas começaram a retomar as atividades nas últimas semanas, de forma gradual. Entre elas a própria Renault, além da Fiat e a Jeep e a Volvo Caminhões.

Fonte: G1

Curta nossa página no facebook: 8cc74bfbefd94a7c24d9d666a51f0623

Deixe uma resposta