O secretário estadual da Saúde do Paraná, o médico Beto Preto, afirmou que “não é o momento de abrir nada”, referindo-se ao comércio. Para ele, o atual momento pede que as empresas sigam as recomendações do governo estadual.

No Paraná, os decretos 4.301 e 4.311, editados em março, suspenderam as atividades comerciais. No entanto, mesmo com as determinações, sete shoppings estão abertos no estado.

“Eu peço a boa vontade e a colaboração, principalmente desses shoppings que estão abertos. Não é o momento de abrir nada, está subindo a curva ainda. Não queremos potencializar o número de casos dessa curva. Só podemos falar em flexibilização com a curva descendente”, disse Beto Preto.

Segundo dados da Abrasce, o Paraná é o terceiro estado do Brasil com mais shoppings abertos. O estado tem sete estabelecimentos reabertos, atrás apenas de Santa Catarina (24) e Rio Grande do Sul (11).

“É importante seguir a orientação do governo do estado. Só que existe também, segundo o próprio STF, o poder das prefeituras, dos prefeitos, de abrir ou fechar determinados estabelecimentos. Nós somos responsáveis por tudo aquilo que nós fazemos. Se nós abrimos hoje, permitirmos a abertura de determinada atividade comercial, amanhã vamos ter que lamentar a quantidade de pessoas internadas, principalmente nas Unidades de Terapia Intensiva”, complementa o secretário de Saúde do Paraná.

Algumas entidades têm pressionado o Governo do Paraná para que se tenha mais flexibilização. No último dia 27, o governador do Paraná, Ratinho Junior, assinou um decreto que diz que a definição de “normas e procedimentos para a regulamentação da retomada dos serviços essenciais e/ou não essenciais” será de responsabilidade da Secretaria Estadual de Saúde.

“Quando a situação melhorar, serei o primeiro a colocar a flexibilização em pauta, não só atividade econômica, mas das aulas também”, prometeu o secretário.

Fonte: RICMAIS

Curta nossa página no facebook: 8cc74bfbefd94a7c24d9d666a51f0623

Deixe uma resposta