Nesta terça-feira (14), o grupo Havan anunciou a suspensão de 11.000 contratos de funcionários da empresa. O número é equivalente à metade da equipe, que conta com 22.000 empregados.

Em nota, a empresa ressaltou que foi uma das primeiras a aderir à medida provisória que institui o auxílio emergencial e dispõe de medidas trabalhistas complementares em razão da pandemia do coronavírus no país (MP 936/2020). A medida permite a suspensão de contratos por até 2 meses, período em que a empresa paga apenas 30% do salário do funcionário, que terá os outros 70% completados com o valor do seguro-desemprego.

“Estamos fazendo tudo o que é possível para manter os empregos. É primordial que as empresas trabalhem nesse sentindo. Somente assim, conseguiremos atravessar esse período de dificuldades, mantendo os empregos e a renda dos colaboradores”, declarou o proprietário da Havan, Luciano Hang.

O empresário ainda rebateu as acusações de que teria demitido 2.000 colaboradores.

“Isso é obra dos sites de esquerda que estão articulando para desestabilizar o Brasil”, afirmou.

Fonte: MSN

Curta nossa página no facebook: 8cc74bfbefd94a7c24d9d666a51f0623

Deixe uma resposta