Segundo o Jornal Gazeta do Povo, devido as limitações do tamanho da pista de decolagem, que não comporta aviões com carga máxima, Curitiba não tem voos diretos para a Europa e os Estados Unidos. E há o risco dessa limitação seguir por pelo menos mais 30 anos, caso não sejam feitas alterações no relatório que dá base ao edital de concessão à iniciativa privada, apresentado pela Anac. O documento não fala em ampliação da pista atual nem da construção de uma terceira pista no Aeroporto Afonso Pena. Na segunda-feira (9/3) haverá uma audiência pública, em São José dos Pinhais, para discutir o modelo de privatização de 9 aeroportos do Bloco Sul.

Ouça o Podcast Pequeno Expediente, onde os jornalistas Marcos Tosi, Brunno Brugnolo e Gustavo Ribeiro (especialista em aviação) exploram o tema da terceira pista, sua importância, quanto custaria e o que significaria ficar sem ela por mais 30 anos. A Gazeta ouviu também o ex-governador Mário Pereira, presidente em exercício do Movimento Pró-Paraná, e o secretário nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann.

Fonte: Gazeta do Povo

Curta nossa página no facebook: 8cc74bfbefd94a7c24d9d666a51f0623

Deixe uma resposta