O Governador do Paraná Ratinho Junior autorizou um grande pacote de reformas e reparos em penitenciárias, cadeias públicas, delegacias, casas de custódia e IML do Estado.

Segundo o Depen-PR vão ser investidos neste ano R$ 14 milhões, em 33 unidades, em 13 municípios paranaenses. Os recursos são do Tesouro do Estado.

As obras vão desde a instalação e substituição de grades em diversos pontos, reformas de refeitórios até a renovação completa de instalações elétricas.

Maringá, Cruzeiro do Oeste, Francisco Beltrão, Foz do Iguaçu, Cascavel, Londrina, Ponta Grossa, Guarapuava, Curitiba, Piraquara, São José dos Pinhais, Pinhais e Umuarama são as cidades que terão unidades modernizadas.

O prazo previsto para as obras é de 210 dias.

“O Paraná avança no combate à criminalidade. Com isso, o grande desafio passa a ser a questão carcerária, encontrar mecanismos para modernizar o sistema”, disse Ratinho Junior.

Francico Caricati, diretor-geral do Depen, disse que o sistema prisional do Paraná é bastante antigo, necessitando de manutenção. “O que estamos fazendo também é a modernização das unidades, garantindo mais segurança e confiabilidade ao sistema”, destacou.

Uma grande parte do investimento será na RMC, especialmente em Piraquara, cidade onde se encontra as maiores penitenciárias do Estado.
Do total, R$ 426 mil serão destinados à CPAI, em Piraquara. Para a unidade, está prevista a instalação e substituição de grades e, também, uma reforma no refeitório e em alguns alojamentos. As obras devem começar em março.

Além das penitenciárias, o IML de Umuarama, na Região Noroeste, ganhará melhorias. O investimento é de R$ 190 mil, com o término da obra previsto para o mês de outubro.

O Governo do Paraná também confirmou no fim do ano passado a abertura 3 mil novas vagas no sistema prisional no Estado com a construção de quatro novas cadeias públicas, além da implantação de três novas delegacias e investimento de R$ 81 milhões.

“Estamos trabalhando na reforma e construção de presídios, mas também na ressocialização dos detentos, para que eles possam sair das cadeias do Estado de forma qualificada”, ressaltou Caricati.

Fonte: AEN

Curta nossa página no facebook: 8cc74bfbefd94a7c24d9d666a51f0623

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta